Photobucket

Photobucket

# Sejam Bem-Vindos ao Night Shift!

Cidade de Lisboa, Portugal. Ano de 2032. As coisas não mudaram tanto assim, apenas o cenário, apenas as imagens que passam paralelas as verdades que acontecem. Os leigos alheios aos acontecimentos, isentos de culpas e deveres. Mas, quando aquilo que pode ser uma ameaça para alguns está perdida pelo mundo sem destino ou razão. a esmo podendo está diante de um humano desavisado, para outros a mesma coisas pode significar o início da salvação de uma raça ameaçada e caçada eternamente por gerações. Você irá se importar com alguma dessas coisas? Ou será apenas mais uma pessoa vivendo a sua vida esperando que tudo se resolva, ou, tudo se acabe??
Photobucket

# Data: Março de 2032
# Local: Lisboa, Portugal
# Temperatura: 26º
# Clima: Noite de céu limpo, brisa suave e clima agradável sem previsão de chuva...
# Lua: Crescente
# Sugestões de Ações:
- Person envolvidos diretamente na Trama Central : Parque Florestal Monsanto ; Pensão da Cidade ; Galpão abandonado
- Outros: Fiquem antentos a RP da trama central, você pode ser escolhido em breve. Qualquer outro lugar sem envolvimento direto com a trama.
# Duração do periodo: Indeterminado!


Photobucket

Photobucket

Interessado em fazer parceria com o Night Shift? É só logar na conta "Parcerias" com a senha "parceriasorbis" e mandar uma mensagem privada(MP) pra algum dos administradores e/ou moderadores sobre o interesse e link do forum


Photobucket London Paradise FÓRUM OPS!

Photobucket
REFORMULAÇÃO DO FORUM
(ex Orbis non Sufficit)
Agradecimento especial aos players que fazem isso aqui ser tão importante pra nós. - Fotos tiradas de vários lugares, mas principalmente do deviantart. - Todos os direitos reservados à Staff.

Recuse imitações. o NS é nosso, se copiar qualquer coisa sem antes ao menos pedir nossa autorização é PLÁGIO... E plágio é crime, hein?
Se copiar vai ser #umaputafaltadesacanagem e eu vou teperseguiratéoinfernoporra! xingar muito no Twitter!

bricadeira, mas aviso dado. Depois não diz que eu não avisei.


Night Shift - Turno da noite © 2009-2010

    15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - RP Fechada

    Compartilhe
    avatar
    Lucas Dekker
    Descendente Sétimo
    Descendente Sétimo

    Nome do Player : Biah!
    Mensagens : 351
    Data de inscrição : 20/02/2010

    15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - RP Fechada

    Mensagem por Lucas Dekker em Qua Jun 09, 2010 10:35 pm

    15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - Post: 01
    RP Fechada - Violet Cooper x Lucas Dekker


    Lucas estava inspirado naquela noite. Havia se ‘divertido’ muito dias anteriores, caçadas para alimentar-se, perseguições, caçadores, alguns problemas com lobisomens, seus instintos estavam ativos. Assim que a noite chegou saiu seguidamente, deixando o carro numa vaga pela rua mesmo. Estava no centro da cidade. Não era bom caçar, ou fazer seja lá o que fosse, próximo da moradia, isso geralmente atraia os caçadores. E assim, foi para o centro da cidade e após deixar o carro começou a andar pelas ruas analisando o que faria por ali. Caminhava pela calçada, havia muitos comércios abertos, podia ver pelas fachadas com janelas grandes, vidraças, o interior dos lugares. Passou por algumas lojas de roupas que ainda estavam abertas, próximas de fecharem pelo cair da noite, passou em frente a um restaurante bem iluminado e que começava a ganhar movimento. Olhava apenas para distração, não achava nada que lhe interessasse dentro daqueles lugares. Era como observar num zoológico os animais confinados, seguindo suas vidas presos, sendo observados pelas pessoas todos os dias e não tendo consciência de nada. Nesse caso, os humanos eram os seres observados, o gado, que eram vigiados diariamente, analisados, escolhidos por eles e tinham seu destino traçado na ponte de suas pressas. Não suspeitavam de nada, tolos, crentes que nada disso existia até quando se depararem com a morte certa. Foi então que passou na frente de um bar, aqueles comuns, com mesas de sinuca, musica brega, e muita bebida. Teria passado direto se não tivesse sentindo uma presença conhecida ali; Violet.

    Não entrou. Ela estava sozinha, observou pela janela a silhueta da morena sentada no balcão do bar, conversando com um humano, bebendo empolgadamente e sorrindo. Ah! Sabia o que ela estava fazendo, estava caçando! Se afastou, sabia o que se seguiria depois dali, deu a volta atravessando a rua esperando do outro lado que saíssem. E, conforme esperara não demorou muito viu a vampira saindo do bar acompanhada pelo homem, sorriam, ele estava visivelmente alterado pela bebida, seguiu a bela morena pela calçada até um beco mais a frente. Tolo! Estava caindo nos braços da morte, seduzido, iludido pelo sorriso e corpo da vampira. Lucas acompanhou o movimento, seguindo do outro lado da calçada os dois. Assim que sumiram entrando no beco entre dois comércios, atravessou a rua.

    Não costumava se meter nos assuntos alheios, não costumava se meter nas caçadas dos outros descendentes, mas lá ia ele. Se aproximou silencioso, vendo o homem andar tortuosamente, trançando as pernas, se apoiando nas paredes em direção a Violet. Ela permanecia estacada o fitando, um sorriso de canto, estava apreciando o jogo. O homem se aproximou de Violet levando suas mãos a cintura da vampira, a mesma não o repeliu deixando-o se aproximar e ganhar confiança, então o humano beijou-a. Foi instantâneo, os olhos de Lucas acenderam-se denunciando sua presença ali, e se aproximou. Sabia que Violet já devia ter o percebido naquele momento, não havia feito questão de esconder-se, e alem do mais, havia sido quase que automático sua reação. Não saberia como descrever a sensação que lhe tomou quando viu Violet sendo beijada pelo humano, mesmo sabendo que era só um jogo dela para caçar, parecia não querer crer nisso. Violet repeliu o humano, que sem entender muito bem o que acontecia olhou para trás e deparou-se com outro homem, este com olhos acesos como duas chamas. Sem maiores explicações Lucas usando de velocidade vampirica foi de encontro ao homem, jogando-o contra a parede de concreto, com o baque escutou ossos estalarem, provavelmente as costelas do humano, e caindo no chão ficou desacordado. Deixou o humano de canto, não ia beber do sangue dele, não precisava e também não queria. Encarou Violet, que o fitava irritada, claro, esperava o quê depois disso Lucas? Se metendo na caçada dela e queria o quê?!

    - Pelo menos não o matei. - falou meio que se explicando. – Além do mais, caça é caça. Ainda esta vivo.

    Ok, como se ela fosse querer alimentar-se depois dele estragar tudo. E isso não era o pior. Lucas depois disso estava se achando...um idiota! Por que mesmo havia feito aquilo? Não tinha motivo. Violet iria ficar furiosa com ele, e com razão. Se tivesse sido com ele, iria ficar irritadíssimo também, se não pior. Pra sua sorte Violet era mais calma... será?
    avatar
    Violet Cooper
    Descendente Acordador
    Descendente Acordador

    Nome do Player : Nany :)
    Escorpião Mensagens : 60
    Data de inscrição : 21/02/2010
    Idade : 24

    Re: 15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - RP Fechada

    Mensagem por Violet Cooper em Sex Jun 11, 2010 4:09 pm

    15/03/2032 - Rua próxima ao Bar Café - Noite
    RP Fechada - Post 01


    Tinha planejado uma caçada para esta noite e assim fiz quando sai da moradia em que os descendentes de Acordador se juntavam com os de Lobo e Espelho. Há dias não fazia uma caçada decente à moda antiga, com direito a diversão e tudo. Trajava um vestido e uma bolsa de mão e usava salto alto. A típica garota da noite que chamava atenção de suas vitimas. Sorri ao fechar a porta, não sairia de carro, nem nenhum tipo de veículo. Andei pelo centro da cidade analisando todos os detalhes, procurando o melhor lugar para entrar e escolher minha refeição. Não queria atrair caçadores, mas era inevitável quando onde se achava os mais idiotas e bebidas junto eram bares e afins. Adentrei uma das conveniências e achei um cara alto, musculoso e bonito. Típico fortão sem cérebro, sorri satisfeita enquanto me aproximava do sujeito e lhe lançava um sorriso.

    O idiota me ofereceu uma bebida e me levou até o balcão, trocamos algumas palavras enquanto ele bebia como louco e eu apenas goleava aquilo para manter as aparências. Não gostava daquele liquido era horrível e não tinha um gosto bom pra mim, não agora, mas antes da minha transformação eu era uma jovem bêbada todos os sábados. Analisando bem, eu atacaria alguém da mesma maneira em que fui atacada. Esperei até o momento em que estivesse bêbado o suficiente para não me questionar nada, então levantei e ele me acompanhou para fora do Bar Café. As ruas não estavam movimentadas, perfeito. Levei ele para o lado mais escuro, um beco, enquanto ele mantinha um sorriso malicioso no rosto e caminhava de modo desigual, completamente chapado.

    Paramos bem ao fim do beco e eu permaneci fitando-o e ele não queria ‘perder tempo’ me beijou e eu retribui, isso fazia parte do meu jogo, ganhava confiança e poderia me alimentar antes que ele gritasse ou tivesse noção do que estava acontecendo. O beijo não tinha sido longo, ainda mais quando eu notei a presença de alguém que definitivamente não deveria estar ali. Encarei o outro vampiro friamente, agora ele se metia nas minhas caçadas? O homem que estava comigo notou minha distração e seguiu meu olhar que agora recaia sobre o descendente que nos encarava. Se não fossem os reflexos vampirescos e a ótima visão, nem teria notado Lucas Dekker correndo e atacando minha vítima, minha presa. O cara caiu desacordado aonde foi lançado pelo vampiro e talvez tivesse tido a sorte de não ter muitas fraturas, o que eu duvidava muito, entretanto o vampiro a minha frente me devia explicações. Encarei Lucas e provavelmente ele notou minha cara de ‘qual é a sua?’ e se defendeu com o pobre argumento de ter preservado a vida do cara. Aquilo não tinha me adiantado de nada, ele estragou minha caçada sem motivo nenhum.

    - Idiota! Por que você fez isso? – olhei para o cara desmaiado e de volta para o descendente – Você estragou tudo Lucas, será que não pode conter seu gênio por alguns instantes? Tem mesmo que agir desse modo com todo mundo? – sem noção! – Era a minha caça! Ou agora para caçar tenho que ter tua permissão pra caçar? – eu estava possessa.

    Queria ao menos uma explicação razoável pra isso, Oe ele deveria me dar, me DEVIA isso. Aquele idiota desacordado não me servia pra mais nada agora, qual era a graça de se alimentar de doentes, desacordados, inúteis, inválidos? Não tinha a mesma adrenalina, não era igual. Provavelmente eu nunca tinha lutado tanto para não partir pra cima de alguém, mas tudo tinha sua primeira vez. Fitava o rapaz a minha frente com a expressão mais zangada que eu conseguia manter no meu rosto.



    Spoiler:


    Sabe que eu to sem o pc neh tia biah? então releve.

    avatar
    Lucas Dekker
    Descendente Sétimo
    Descendente Sétimo

    Nome do Player : Biah!
    Mensagens : 351
    Data de inscrição : 20/02/2010

    Re: 15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - RP Fechada

    Mensagem por Lucas Dekker em Sex Jun 11, 2010 11:23 pm

    15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - Post: 02
    RP Fechada - Violet Cooper x Lucas Dekker

    Lucas sorriu mais uma vez. Realmente havia irritado a filha de Acordador! A fitou observando sua reação possessa e cara de desgosto, olhando para o humano no chão desacordado, ele havia feito uma grande besteira! Se já não tivesse acostumado com os modos dos outros descendentes para com ele e seus irmãos filhos de Sétimo teria se espantado, porém, balançou a cabeça negativamente irônico. O humano respirava, pensou na reação dele quando acordasse, iria achar que tinha sonhado, imaginado, bêbedo como estava.

    - Idiota! Por que você fez isso? - “não sei” pensou em responder mas seria uma desculpa esfarrapada demais. - Você estragou tudo Lucas, será que não pode conter seu gênio por alguns instantes? – “er...não” pensava enquanto ouvia ela falar, se pudesse conter ele não tinha se metido, não? -Tem mesmo que agir desse modo com todo mundo? – “com todo mundo não.” Pode aposta que se fosse Samuel ele ia fazer o contrario, fingi que não havia visto, melhor ainda se fosse um caçador enfiando uma estaca no peito dele ao invés de uma caça. - Era a minha caça! Ou agora para caçar tenho que ter tua permissão pra caçar?

    Pra ultima ele não quis pensar na resposta. Vai que ela saia da sua boca sem perceber e ia piorar as coisas mais. Deu alguns passos na direção do humano no chão desacordado, batendo com o próprio pé de leve na sola do pé do humano para ver alguma reação, nada. Esse ia acordar com o raiar do sol só! Voltou a atenção para a vampira de cabelos negros. Ele sabia que tinha passado dos limites, não podia ter feito aquilo, mas já tinha feito não tinha como voltar atrás. Restava saber se ele iria saber contornar aquilo bem, ou mais ou menos bem.

    - Violet, Violet. – falou se aproximando da vampira com as feições normais, mais calmo. – Eu estou controlado. E você chama isso de caça? – olhou de canto de olho para o humano. -Já foi melhor nas suas escolhas, bem melhor. – parou onde estava, não queria abusar da sorte com a vampira e ter uma desavença. – Você é livre, faz o que deseja. Não mando nem nos meus irmãos, não sou tão presunçoso como alguns pensam. – declarou.

    Respirou profundamente, apenas por habito, sentindo o ar da noite entrar pelas vias respiratórias de um corpo que um dia precisava disso. Não era bom com explicações seja pra quem fosse, e muito menos com desculpas. Se aproximou de Violet, que estava parada ainda no mesmo lugar depois de ouvi-lo. Caminhou, não usou de seus dons vampiros, apenas caminhou até ela parando diante da vampira com seus olhos fixos nos dela. Fechou os olhos por alguns segundos enquanto sentia o perfume dela invadi seu onariz, perfume este que havia aprendido a algum tempo memorizar e identifica-lo a quilômetros. Estava a centímetros de Violet, era quase um transe para ele fitar aqueles olhos azuis que o fazia se sentir meio perdido até. Voltando a si, conseguindo se desprender do olhar dela, tomou consciência do que fazia, estava muito perto dela e não costumava fazer isso. Dessa vez usou da velocidade vampirica para se afastar, parando uns cinco metros distante dela na direção da saída do beco, olhando-a.

    - Por quê você tem esse poder sobre mim? – perguntou arqueando uma das sobrancelhas, tentando saber de si mesmo a resposta em vão.

    Devia ser o contrario não? Um filho de Sétimo sendo influenciado por uma filha de Acordador? Isso era no mínimo...incomodo.
    avatar
    Violet Cooper
    Descendente Acordador
    Descendente Acordador

    Nome do Player : Nany :)
    Escorpião Mensagens : 60
    Data de inscrição : 21/02/2010
    Idade : 24

    Re: 15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - RP Fechada

    Mensagem por Violet Cooper em Sab Jun 12, 2010 10:50 pm

    15/03/2032 - Rua próxima ao Bar Café - Noite
    RP Fechada - Post 02


    Permanecia em frente ao idiota que havia acabado com minha caçada e me deixado ali sem nenhuma explicação plausível. Não tinha entendido ainda porque eu não tinha voado pra cima dele, eu era tão impulsiva... Sorte a dele! Olhei de canto de olho pra ele, enquanto esperava que ele se pronunciasse com algo realmente formidável que convenceria até o Papa ou qualquer ser que fosse considerado uma grande pessoa na terra. Esperava ao mínimo isso dele. Primeiro Lucas foi até o desacordado ex-caça e atual fraturado inválido para mim e analisou o sujeito, acompanhei tudo com o olhar, sem me mover do ponto inicial. Dekker começou a falar, finalmente.

    - Violet, Violet. – falou se aproximando da vampira com as feições normais, mais calmo. – Eu estou controlado. E você chama isso de caça? – olhou de canto de olho para o humano. -Já foi melhor nas suas escolhas, bem melhor. – parou onde estava.

    - Eu não preciso que você dê seu selo de qualidade nas minhas caças. – respondi.

    – Você é livre, faz o que deseja. Não mando nem nos meus irmãos, não sou tão presunçoso como alguns pensam. – declarou

    A vontade de xingá-lo foi grande. Se ele não queria mandar em ninguém e eu era perfeitamente livre, porque ele tinha se intrometido, afinal? Era isso que eu queria saber, de fato. Percebi ele se aproximando de mim sem nenhum aviso e fitei-o intrigada. O que ele estava fazendo? Seus passos foram de humano, mas firmes. Parou diante de mim e fechou os olhos, observei-o com atenção antes de ele abrir os olhos e sair correndo de onde estava, parando a uma distância exagerada até. Ele era maluco!

    - Por quê você tem esse poder sobre mim? – perguntou arqueando uma das sobrancelhas.

    A perguntou chegou num baque monstruoso colidindo com toda minha sanidade e me deixando um tanto confusa e pensativa. Eu tinha notado a diferença dele para comigo, tinha notado o jeito que Samuel e ele pareciam disputar, ter uma rixa ainda maior quando eu me fazia presente. Analisei a pergunta alguns instantes enquanto fitava-o demoradamente e comparava os fatos. Ele era tão irritante comigo as vezes que eu mal notava o jeito de ele se expressar, me concentrando só em não descontar a raiva que ele me fazia no ser. Certamente, ele devia estar me zoando, tirando com minha cara como sempre fazia. Eu não queria cair nessa, não ia ser assim. Olhei-o formando um sorriso singelo no rosto.

    - Tá de brincadeira, Dekker? Não estou acostumada com teus momentos sentimentais. Isso é tão... anti-Lucas. – quebrei todo clima sentimental que estivesse se formando ali.

    Tá, eu tinha agido um pouco rude demais, só não ia admitir pra ninguém. Encerrei o sorriso que mantive no meu rosto até terminar a fala, tratando de ficar séria por alguns instantes. Minha atitude provavelmente faria o Lucas provocativo e chato voltar à ativa. Não ia fugir como fiz da última vez em que o circo pegou fogo. Apenas observava a reação do descendente de Sétimo tranquilamente – ou ao menos tentava transparecer calma.
    avatar
    Lucas Dekker
    Descendente Sétimo
    Descendente Sétimo

    Nome do Player : Biah!
    Mensagens : 351
    Data de inscrição : 20/02/2010

    Re: 15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - RP Fechada

    Mensagem por Lucas Dekker em Dom Jun 13, 2010 1:31 am

    15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - Post: 03
    RP Fechada - Violet Cooper x Lucas Dekker


    Continuou onde estava meio intrigado, tentando por em ordem seus próprios pensamentos sobre o que fazia e tinha feito. Não fazia sentido, nada. Se intrometer na caçada dela? Fazer uma aproximação dessas? Fazer uma pergunta assim, tão sem sentido ou não? Percebeu que Violet fazia o mesmo, talvez não exatamente como ele, mas provavelmente se perguntava se ele havia enlouquecido! Ficou fitando-o de longe enquanto parecia formatar o que ouvira dele antes de se repelir dela como se tivesse dado de cara com o próprio Demônio.

    - Tá de brincadeira, Dekker? Não estou acostumada com teus momentos sentimentais. Isso é tão... anti-Lucas.

    Pois é. Nem ele sabia mais o que era esses momentos, imagina ficar dando dessas na frente de qualquer outro descendente que não fosse Natasha ou Edgar. Ele tava se odiando por isso, mas deixaria para sair xingando o vento e descontando depois quando tivesse longe dela. Pelo menos ela não tinha levado a sério esse seu lapso momentâneo de sanidade mental. Melhor assim. Não sabia o que ia falar se ela pedisse maiores explicações sobre o que falara. Ia se enrolar mais ainda e não gostava de passar por isso. Só ele conseguia cair nessas enrascadas! Isso que dá. Bom que aprendia. Ninguém estava acostumado com um comportamento menos... menos...”Sétimo”, e quando via algum deles fazendo o oposto era um espanto, lá vinha as gracinhas, comentários dispensáveis. Depois reclamavam por serem assim. Não sabiam apreciar um bom momento, bom humor, calma, e porque não, um lado mais sociável deles. Não podia dar tréguas. Não adiantava. Esboçou um largo sorriso, sumindo de vez com o ar de confuso que hora antes estava em seu rosto, virando agora o típico dele; debochado.

    – Brincadeira? Talvez, pode ser. – começou a falar – É a convivência, se passasse mais tempo junto da minha pessoa e não fugindo, ia saber que os filhos de Gentil até que ensinaram alguns modos pra gente. – satirizou – Veja só que evolução, ensinaram-me até um modo interessante de caçar, fingir ser bonzinho, educado, confiável antes de cravar as pressas e no fim ainda deixar o corpo num lugar fácil para que o encontre e encaminhem sua alma. - riu, fazendo uma comparação com os irmãos de moradia. Confiante, espantou totalmente aquela sensação que havia o tomado anteriormente, voltando a arriscar alguns passos na direção dela mais uma vez. – Não posso mudar minha natureza, eu sou isso e ponto. – falava, sentido os olhos acenderem-se por um instante e depois apagarem. – O Lucas que conhece estaria a essas horas dizimando algumas vidas, procurando caçadores, atrás de informações para libertar Sétimo. – dizia ainda dando alguns passos antes de sumir e aparecer as costas da vampira, afastando com uma das mãos os cabelos do pescoço dela aproximando o rosto do ouvido, quase encostando na pele pálida e fria dela. – Mas aqui estou. Mesmo sem saber o motivo, filha de Acordador. – falou soltando os cabelos negros de sua mão e descendo suavemente pelo pescoço dela sentindo o toque frio de sua pele, afastou o rosto observando caírem se espalhando pelos ombros dela novamente. - Devo ir? Ir para fazer essas coisas? – perguntou a vampira.

    Não sabia qual seria a resposta dela, na verdade, nem imaginava! Violet as vezes podia ser tão arredia quanto imprevisível. Era um jogo perigoso, talvez por isso que ele insistia!
    avatar
    Violet Cooper
    Descendente Acordador
    Descendente Acordador

    Nome do Player : Nany :)
    Escorpião Mensagens : 60
    Data de inscrição : 21/02/2010
    Idade : 24

    Re: 15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - RP Fechada

    Mensagem por Violet Cooper em Dom Jun 13, 2010 4:13 pm

    15/03/2032 - Rua próxima ao Bar Café - Noite
    RP Fechada - Post 03

    Estava parada no mesmo local, não tinha ousado me mexer, não queria provocar mais do que tinha feito após o que disse para Lucas. Pensei que ele provavelmente soltaria mais uma de suas piadas e encerraria o assunto. Entretanto, Lucas sempre foi imprevisível e eu estava me acostumando com isso ainda, mesmo com mais de uma década de convívio não tinha ‘pegado o jeito’. Fitei o descendente na minha frente e vi um sorriso se formar nos lábios dele, agora sim era o Lucas que eu conhecia e estava prestes a começar seu deboche.

    – Brincadeira? Talvez, pode ser. – começou a falar – – É a convivência, se passasse mais tempo junto da minha pessoa e não fugindo, ia saber que os filhos de Gentil até que ensinaram alguns modos pra gente. – satirizou

    - Ótimo"tinham mesmo que aprender alguns modos" completei mentalmente.

    – Veja só que evolução, ensinaram-me até um modo interessante de caçar, fingir ser bonzinho, educado, confiável antes de cravar as pressas e no fim ainda deixar o corpo num lugar fácil para que o encontre e encaminhem sua alma. – riu e tornou a se aproximar de mim.

    Essa eu não pude responder. A única diferença que existia nos modos de caçar era não chamar atenção dos caçadores, íamos matar de qualquer jeito. Antes fosse de um modo que não atrairia olhares dos humanos para nós. Não éramos conhecidos por deixar rastros, senão estaríamos sendo caçados por toda a população do planeta, tínhamos que lidar com a descrição, tínhamos que nos tornar invisíveis perante as especulações.

    – Não posso mudar minha natureza, eu sou isso e ponto. O Lucas que conhece estaria a essas horas dizimando algumas vidas, procurando caçadores, atrás de informações para libertar Sétimo. – isso era realmente verdade, eu conhecia um Lucas desse jeito, não o que estava em minha frente agora dizendo tantas palavras por um motivo que eu ainda não tinha descoberto. Vi Dekker desaparecer da minha frente e senti-o atrás de mim tocando no meu cabelo - – Mas aqui estou. Mesmo sem saber o motivo, filha de Acordador. – falou soltando os cabelos negros de sua mão e pude senti-las descendo suavemente pelo meu pescoço. Eu não estava entendo esse jogo, estava completamente desfocada do objetivo agora. - – Devo ir? Ir para fazer essas coisas?

    Movi-me do lugar pela primeira vez, virando-me de frente para o descendente de Sétimo. Meus olhos fitaram os dele demoradamente. Eu queria entender o que se passava na mente confusa dele, da mesma maneira que eu precisava ter uma resposta da minha mente confusa. Eu não queria que ele fosse fazer aquilo, não podia deixá-lo ir assim. Precisava buscar compreender aquilo, precisava de respostas.

    - Claro que não! Quer dizer, você não tem que ir fazer isso. – não devia mesmo ir. Inalei o ar fresco da noite e exalei lentamente, enquanto encontrava as palavras exatas do que eu queria que ele me respondesse – Por que está fazendo isso comigo, Lucas? – era uma pergunta sincera, tinha deixado minha mascara cair, tirando a expressão séria do rosto e tendo no lugar uma especulativa.
    avatar
    Lucas Dekker
    Descendente Sétimo
    Descendente Sétimo

    Nome do Player : Biah!
    Mensagens : 351
    Data de inscrição : 20/02/2010

    Re: 15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - RP Fechada

    Mensagem por Lucas Dekker em Dom Jun 13, 2010 9:28 pm

    15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - Post: 04
    RP Fechada - Violet Cooper x Lucas Dekker



    Violet se virara para encara-lo com um olhar confuso. Lucas manteve o olhar, com certa dificuldade, os olhos azuis da vampira sempre lhe perturbava mas como o bom teimoso que era não desviou. Era difícil ele tentar saber se ela estava achando que tudo aquilo era mais uma das gracinhas dele, especulações sem sentido, ou se ele falava serio. Até onde sabia quem tinha o dom de sarcasmo era os filhos de Acordador, mas ele aprendia rápido, absorvia as informações com facilidade e além do mais algumas coisas eram de sangue, antes de se torna um vampiro. Não se importava muito o juízo que ela deveria estar fazendo dele, afinal, no fim todos chegavam a mesma conclusão; não há uma conclusão para os motivos deles, filhos de Sétimo. Sabia que se tivesse no estado humano ainda estaria ansioso, com os batimentos descompassados. Não deixava-se se influencia antes quando era apenas um humano pela beleza das mulheres, corpo, tudo era um mero jogo para ele, e agora transformado isso ainda era menos cogitado ainda. Não mentiria para si que vez ou outra sentia a necessidade de durante suas caçadas se aproveita das presas, ainda mais quando eram belas mulheres, satisfazer seus desejos, mas não passavam disso. Desejo.

    - Claro que não! Quer dizer, você não tem que ir fazer isso. – observou ela respirar o ar a volta pensativa. - Por que está fazendo isso comigo, Lucas?

    Sorriu de canto. Devia estar ficando estúpido ou o quê? Ele parecia não saber mais quem era, apesar de não ter continuado falando e voltado a manter suas ações comuns, seus pensamentos se embaralhavam em sua cabeça! Ele se perguntava por diversas vezes por quê se sentia tão preso pelo olhos daquela vampira, por quê se perdia observando o jeito dela, se importava com o que ela falava e não conseguia odia-la como alguns outros descendentes. Que diabos acontecia?! E ela? Por quê perguntava isso para ele? Não havia feito nada! Ela que estava fazendo. Fazendo-o se perguntar, se confundir, ficar perdido! Ainda bem que não tinha nenhum dos seus irmão ali, como que ele ia explicar uma situação dessas pra eles? Era inconcebível! Se bem que, não devia explicações a ninguém, cada um fazia da vida o que queria! Confuso. Muito.

    – Pergunto o mesmo Violet, o mesmo. Nunca quis saber tanto a resposta de uma pergunta. – espantou da mente seus pensamentos confusos, fitando a vampira a sua frente ainda. E, mesmo sabendo que não devia, resolveu continuar com seus questionamentos. – Mas acho que a resposta não é assim tão fácil. Ainda mais vinda de mim, não? – sorriu – Mesmo com tudo que me vem acontecendo, meus problemas com os outros descendentes, caçadores, e todo o resto, é difícil ignorar ... você. – nunca havia ficado tão próxima dela assim, nunca conseguiam, sempre havia alguém para inferniza-lo ou algo acontecia. Levou a mão ao rosto de Violet num gesto que não era costume dele, acariciou o rosto dela. – Acho que estou convivendo muito com os filhos de Gentil. – falou ironizando.
    avatar
    Violet Cooper
    Descendente Acordador
    Descendente Acordador

    Nome do Player : Nany :)
    Escorpião Mensagens : 60
    Data de inscrição : 21/02/2010
    Idade : 24

    Re: 15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - RP Fechada

    Mensagem por Violet Cooper em Seg Jun 14, 2010 5:54 pm

    15/03/2032 - Rua próxima ao Bar Café - Noite
    RP Fechada - Post 04


    Por que tudo aquilo estava acontecendo? O beco em que estávamos colaborava para que o silêncio chegasse a ser tenso. Eu estava de frente para o descendente e via os traços de seu rosto mudando segundo a segundo. Pelo menos não era só eu quem estava confusa com toda aquela situação. Fui sincera na pergunta que fiz a Dekker e esperava que ele também fosse sincero e me dissesse logo o que era aquilo. Uma brincadeira? Não sei, não estava acostumada a ver os filhos de Sétimo de outra maneira, senão enganosos. Se bem que do ponto de vista deles, os mentirosos e traidores éramos nós. De qualquer forma, ignorei os pensamentos que me deixavam mais confusa ainda e esperei a reação de Lucas que formava outro sorriso em seu rosto, dessa vez não parecia ser de deboche, parecia ser algo menos ‘artificial’. Sem nos mover, Lucas iniciou sua resposta:

    – Pergunto o mesmo Violet, o mesmo. Nunca quis saber tanto a resposta de uma pergunta – Como assim? Ele agia daquela forma e não sabia o por quê? Esperei ele continuar – Mas acho que a resposta não é assim tão fácil. Ainda mais vinda de mim, não? – sorriu e eu arqueei uma sobrancelha

    - Diria então que deveria ser vinda de mim? - vai dizer que era eu que tinha que responder por que ele ficava assim? Esperei ele continuar.

    - Mesmo com tudo que me vem acontecendo, meus problemas com os outros descendentes, caçadores, e todo o resto, é difícil ignorar... você. – ta, por essa eu não esperava. Ele se aproximou de mim e deixou sua mão acariciar meu rosto com um toque leve. Olhei um pouco incrédula pra ele e ele continuou sua explicação. - Acho que estou convivendo muito com os filhos de Gentil. – falou ironizando.

    Ele tinha mesmo que estragar tudo com essa piada? Esbocei um sorriso singelo enquanto pensava no que ele tinha dito. Não conseguir me ignorar? Eu realmente tinha algum efeito sobre ele? Era algo interessante a se analisar, a se usar, não sei. Estava quase convencida de que ele não estava blefando e que não era só mais um joguinho idiota dele. Deixei minha mão direita pousar sobre a mão de Lucas.

    - Acho que você morar com os descendentes de Gentil realmente surtiu efeito – comentei sorrindo.

    Estávamos próximos demais, eu só precisava de um sinal para abandonar tudo e voltar a entrar na defensiva, mas por outro lado eu estava realmente apreciando o novo Lucas que tinha encontrado, o cara menos marrento e o mais enrolado que eu já tinha visto até agora. Não era certo compará-lo com minhas caças, mas ele agia de um modo parecido quando me olhava. Espantei os pensamentos que começaram a encher minha cabeça e me fixei no descendente a minha frente, tinha mais uma pergunta a fazer... Só mais uma.

    - Se é tão difícil você me... ignorar, por que age de um jeito estranho quando estamos vocês, Samuel e eu? – Em partes eu sabia da resposta, só queria ouvi-la saindo da boca dele e talvez eu precisasse de uma brecha, um momento para formatar tudo aquilo.

    Já tinha deixado minha mão cair de sobre a mão dele e as mantinha presas ao corpo, enquanto buscava olhar nos olhos de Lucas como se pudesse encontrar uma resposta ali de tudo o que eu precisava. Saber como realmente ele era, talvez eu acreditasse que fazendo isso poderia ver que ele não era sempre mais um filho de Sétimo com o mesmo desejo de destruição e a mesma vontade de fazer cada filho dos outros seis pagarem pelo que fizeram com ele, com o imaturo Sétimo.

    Spoiler:
    aah eu sei que ficou sem criatividade nenhuma, mas eu to mals, releva.
    avatar
    Lucas Dekker
    Descendente Sétimo
    Descendente Sétimo

    Nome do Player : Biah!
    Mensagens : 351
    Data de inscrição : 20/02/2010

    Re: 15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - RP Fechada

    Mensagem por Lucas Dekker em Sex Jun 18, 2010 10:42 pm

    15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - Post: 05
    RP Fechada - Violet Cooper x Lucas Dekker


    Ele acompanhou com o olhar o movimento da mão dela ate sua que acariciava o rosto da vampira. Já estava acostumado com o toque frio que todos os vampiros apresentavam de diferente dos humanos, mas não estava acostumado com o toque dela. A mão macia dela pousou sobre a sua enquanto ela falava, não retrucou o que ela dizia sobre ser bom ele ser influenciado pela convivência com os filhos de Gentil, talvez não tivesse se importado com a comparação, talvez. Era complicado. Aquela conversa estava ficando demasiadamente... sem controle. Lucas estava falando coisas que em seu estado normal, isso se tinha um, não dizia ou cogitaria. Pensava e tinha sensações que nunca havia presenciado na sua vida noturna. Era totalmente controverso ao que ele era, ao que os outros sabiam dele, julgavam conhecer. Mas somente duas pessoas naquele mundo agora o conhecia realmente, e estes eram Natasha e Edgar.

    Só os dois sabiam que ele podia ser educado, gentil, e até protetor as vezes, nunca fora ingrato, sabia reconhecer as pessoas que sabiam demonstrar um mínimo de ... consideração. Não fora tão boca suja como Natasha e nem tão calado como Edgar, seu negocio era provocar, satirizar e irritar aqueles que tinha alguma empatia e por ventura tivesse rivalidade. Mas todos sabiam, todos sabiam que os três descendentes tinham o mesmo propósito; encontrar Sétimo. E isso era uma meta, jamais abandonariam isso. E isso era o principal motivo de problemas com os demais.

    - Se é tão difícil você me... ignorar, por que age de um jeito estranho quando estamos você, Samuel e eu?
    Lucas fechou a expressão no mesmo instante. Samuel. Inferno! Seus problemas com o descendente de inverno iam muito mais além da implicância entre eles, entre as provocações por causa de Sétimo, entre as gracinhas ditas pelos atos dele, envolviam agora também Violet. O maldito sempre que podia lhe irritava, provocava, usando a vampira, e ele odiava isso.

    - Violet! – bradou, sentindo os olhos flamejarem. – Diabos! Por quê você tem que falar desse infeliz?! Argh! – falava nervoso, passando as mãos no rosto quase que involuntariamente, fazendo os olhos voltarem ao normal. – Só ainda não arranquei a cabeça dele ou enfiei uma estaca na garganta dele por que não tive uma oportunidade adequada! – Ah! Como ele queria fazer isso! Mas não era o momento, não era momento bom ter todos os descendentes contra eles, não quando ainda precisavam encontrar Sétimo.

    Era um confronto de pensamentos em sua cabeça. Perguntava-se por que ela havia resolvido falar dele, logo agora, ali, pra ele? Qual era o problema? Será que ela achava engraçado vê-lo irritado? Ou gostava de brincar com a cara dele fazendo mudar de humor assim de uma hora para outra? Era o que ela queria? Zombar? Provocar? Ah! Isso era com ele!

    - Quer um motivo Violet? Hum? – perguntou impulsivo a encarando. – Realmente quer? - desafiou se aproximando dela. - Te dou um...

    Puxou a vampira pelo braço sem pensar duas vezes e virou o tronco junto com o dela a virando de costas para a parede proxima, deixando-a entre ele e a parede. Olhou brevemente para os olhos dela enquanto a puxava, sabia que aquele ato dele seria uma surpresa, e nem por isso se deteve. Beijou a vampira. Caramba! Nunca havia chegado nem perto de Violet e agora estava ali a beijando? Estava perdendo a noção do que fazia, estava perdendo os limites, estava... pêra aí, podia jurar que se ainda fosse um humano comum estaria naquele momento com o coração descompassado. Ridículo! Isso não era possível! Era? Não...era. não era. Parou, a fitando depois disso, qual seria a reação dela? Não imaginava.
    avatar
    Violet Cooper
    Descendente Acordador
    Descendente Acordador

    Nome do Player : Nany :)
    Escorpião Mensagens : 60
    Data de inscrição : 21/02/2010
    Idade : 24

    Re: 15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - RP Fechada

    Mensagem por Violet Cooper em Qua Jun 23, 2010 5:28 pm

    15/03/2032 - Rua próxima ao Bar Café - Noite
    RP Fechada - Post 05


    Senti que havia falado algo fora de hora, que comentar sobre Samuel não era algo bom. Vi os olhos de Lucas faiscaram ardentes e ele se estressar e ficar nervoso. Suas mãos voltaram para seu próprio rosto e por instantes ele teve a face coberta. Quando tive oportunidade de vê-lo novamente seus olhos tinham voltado a sua cor normal. Apenas o olhava atentamente, não tinha a intenção de pedir perdão ou algo do gênero, lembrava das inúmeras vezes que ele me provocava, eu já estava tão habituada a isso que às vezes as provocações saiam de minha boca sem nem ao menos eu saber do que se tratavam, era algo rotineiro, diferentemente do que se passava nessa noite, diferente do que tudo que estava acontecendo e das revelações feitas. A expressão de Lucas continuava ardente, devido ao fato de ele ainda estar comentando sobre Samuel e um possível degolamento no vampiro descendente de Inverno. Mordi o lábio inferior enquanto ele falava e assenti sem concordar, apenas tentando evitar uma discussão maior. Espere aí, eu estava evitando confusões? Desde quando? Balancei a cabeça evitando os pensamentos e fitei novamente o vampiro a minha frente, enquanto ele parecia um pouco distraído e pensativo.

    - Quer um motivo Violet? Hum? – perguntou me encarando. – Realmente quer? – desafiou - Te dou um...

    Intrigada, olhei pra ele tentando descobrir do que se tratava todo aquele surto dele? Tudo só porque eu citei Samuel? Senti suas mãos frias me puxando e me prensando na parede. Tínhamos evoluído de uma discussão para isso? Os olhos dele encararam os meus e o que eu menos esperava da parte dele aconteceu. Lucas havia me beijado. Embora, eu admitisse que aquilo fosse provavelmente um surto dele e eu estava surpresa com isso, não podia deixar de apreciar o momento. Não tinha mostrado reação algum, exceto o espanto. Quando Dekker se afastou para me fitar, eu não sabia o que realmente devia fazer. Ele tinha me pego desprevenida, sem minha máscara e meu escudo protetor.

    Encarei o descendente com os olhos ardentes, uma expressão enigmática se formado. Um próprio ponto de interrogação, assim como estava meus pensamentos. Perdi alguns segundos enquanto me organizava e encaixava os pedaços do quebra-cabeça e finalmente solucionava o mistério que havia levado o filho de Sétimo a ter feito tudo aquilo. Um sorriso tímido brotou em meus lábios e procurei as palavras certas pra não iniciar outra discussão ou quebra total de clima, coisas que eu era perita em fazer e devia tomar cuidado para não fazê-lo, tendo consciência que faria cedo ou tarde.

    - Eu devo acreditar nisso? – Eu estava confusa, ele aparentava ser apenas um zombador, clássico filho de Sétimo. – Quero dizer, há alguma esperança nisso? – Mordi novamente o lábio inferior, eu tinha acabado de estragar tudo de novo, porque eu era tão cética? Incrédula? Não sei.
    avatar
    Lucas Dekker
    Descendente Sétimo
    Descendente Sétimo

    Nome do Player : Biah!
    Mensagens : 351
    Data de inscrição : 20/02/2010

    Re: 15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - RP Fechada

    Mensagem por Lucas Dekker em Sab Jun 26, 2010 10:24 pm

    15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - Post: 06
    RP Fechada - Violet Cooper x Lucas Dekker



    Nunca havia sido fácil que entendessem o que ele, ou eles, faziam. Lucas estava acostumado a não dá explicações a ninguém, satisfações ou mesmo perder seu tempo tentando fazer com que compreendessem seus argumentos e etc. Talvez por isso tornava aquilo ainda mais complicado de ... explicar... entender...ou.... se safar? Tanto faz. Não sabia mesmo qual das opções queria naquele momento. Na verdade era difícil concluir que sabia de algo, pelo menos agora. Encarou Violet depois que a soltou ainda na frente dela permaneceu em silencio esperando a reação. Contendo o impulso de se aproximar de novo dela, de beijá-la mais uma vez, deu um passo para trás antes de perceber um sorriso pequeno nos lábios dela e começar a ouvi-lá.

    - Eu devo acreditar nisso? Quero dizer, há alguma esperança nisso?

    Lucas não queria faze-la acreditar em nada, afinal, não sabia se poderia cumprir. Ainda mais com as confusões que aconteciam, com todo esse alvoroço por causa dos Sete, as brigas, seus irmãos, havia muitas coisas envolvidas. Se tivesse que escolher, decidi, se pudesse simplesmente conseguir resolveria tudo de uma vez e sem tantos atritos, mas nada era fácil. Não sabia como agir, se respondia ou não a pergunta ou se desviava o assunto. Não conseguia falar o que queria, na verdade, não podia. As cosias já eram muito confusas e complicadas e ele não precisava torna tudo aquilo ainda mais enrolado.

    - Não posso querer que acredite em nada que eu digo, a maioria não acredita. – começou a falar voltando a si e organizando seus pensamentos. – E como a maioria eu sei que você também não confia em mim. Não sei nem se quero isso. Posso acabar não ... conseguindo cumprir. – ótimo, ele ia continuar a falar asneiras? Bem que podia aparecer um de seus irmãos ali naquele beco e lhe puxasse de volta a consciência. De volta ao que era, ...é. Baixou o olhar para continuar, não queria correr o risco de encarar a vampira mais uma vez e se perder nos olhos dela e voltar a dizer coisas que não deviam. - Acredite no que quiser, a escolha é sua, mas já dever saber... Eu não devia ter dito algumas coisas. – falou pensativo pesando tudo agora, após um raro lampejo de razão. – Lembre-se: eu não prometi nada. – desfez o ar sério ganhando de volta o descontraído e debochado dele. – Mas, se quiser, posso oferecer uma ‘carona’ para onde queira ir. Já que fiz isso. – olhou para o humano desmaiado no chão ainda.

    Lucas esboçou um leve sorriso de canto. O carro estava a uma quadra dali, poderia vê-lo se saísse do beco que estava, e já que seus ‘planos’ para aquela noite haviam falido definitivamente, podia pelo menos tentar reverter o que fez. Já não ia mais ate a Universidade de Lisboa caçar, não ia procurar algum lugar movimentado para se misturar entre os humanos e escolher uma vitima, não ia mais, não ia porquê Violet o havia feito desisti disso naquele exato momento. Que diabos de vampira! Fazê-lo desisti de uma caçada? Demônio! Ele começava a achar que ela tinha ganhado alguns poderes extra do filho da mãe de lá de baixo. Tinha sido muito fácil! Voltou a encarar ela esperando resposta. Não tinha certeza se ela aceitaria que ele a levasse de carro para qualquer lugar que fosse. Seria melhor? De qualquer forma, sairia dali.

    avatar
    Violet Cooper
    Descendente Acordador
    Descendente Acordador

    Nome do Player : Nany :)
    Escorpião Mensagens : 60
    Data de inscrição : 21/02/2010
    Idade : 24

    Re: 15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - RP Fechada

    Mensagem por Violet Cooper em Dom Jun 27, 2010 5:04 pm

    15/03/2032 - Rua próxima ao Bar Café - Noite
    RP Fechada - Post 06


    Um passo de distância era o que nos separava. Havia tido a infelicidade de perguntar se eu devia realmente acreditar em tudo aquilo, eu precisava saber se era um sentimento real. Embora eu fosse mais uma das que não acreditavam piamente em Sétimo e talvez não quisesse que ele voltasse. Entretanto, aquele filho de sétimo estava me causando interrogações demasiadas. Ao lhe proferir as palavras perguntando se de fato podia acreditar. Ele respondeu numa expressão enigmática enquanto eu o acompanhava com os olhos.

    - Não posso querer que acredite em nada que eu digo, a maioria não acredita. – e por um segundo, apenas um, eu me senti culpada. – como a maioria eu sei que você também não confia em mim. Não sei nem se quero isso. Posso acabar não ... conseguindo cumprir.

    Ótimo, então devíamos parar por aqui! Minha feição se alterara enquanto eu girava os olhos para o que ele tinha me dito. Fala sério, eu estava confusa e ele devia me ajudar a tirar essa confusão da cabeça porque quem havia posto ela ali, fora ele. Inalei o ar desnecessário para encher meus pulmões para que eu pudesse falar algo e tentar amenizar aquilo e espantar todo sentimento de raiva que apareceu em poucos segundos. A única coisa da vida de vampira que eu não tinha me acostumado, era as constantes alterações de humor.

    - Escuta... Se não tem certeza, podemos deixar isso enterrado. – assenti curvando a cabeça em movimentos iguais.

    - Acredite no que quiser, a escolha é sua, mas já dever saber... Eu não devia ter dito algumas coisas. – falou pensativo – Lembre-se: eu não prometi nada. – desfez o ar sério ganhando de volta o descontraído e debochado dele. – Mas, se quiser, posso oferecer uma ‘carona’ para onde queira ir. Já que fiz isso. – ele indicou minha presa desmaiada.

    Tinha até simpatizado com o tom sério dele, porque tinha que voltar tudo a tona agora? Um resumo de tudo que aconteceu nos últimos minutos veio num estrondo, impactante. Minha intenção de caçar, minha vitima sendo jogada, Lucas com palavras sem sentido, o gesto que eu nunca esperava vindo dele, e agora a dúvida e o deboche. Olhei indignada para Lucas como se pudesse expressar que não tinha gostado nada daquilo. Girei os olhos mais uma vez, isso era comum em conversas com o descendente de sétimo.

    - Esquece Lucas... Eu me viro, pode deixar. – eu não ia de carona com ele, não ia caçar, não queria mais nada. Ele tinha alterado meu humor e o deixado péssimo.

    Antes de sair conferi se o cara estava realmente desacordado ainda, e sai do beco escuro. O cara não lembraria de nada, e eu também tentaria não lembrar de muita coisa, se fosse possível. Caminhei pelas calçadas que passavam frente ao beco e me retirei procurando o escuro do quarto da moradia dos filhos de Lobo, Acordador e Espelho para que pudesse ter finalmente paz e juízo. Era bom ter espaço e estar sã, consciente de tudo e poder ter livre julgo.
    avatar
    The Devil
    Staff
    Staff

    Nome do Player : bells
    Mensagens : 356
    Data de inscrição : 04/05/2009

    Re: 15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - RP Fechada

    Mensagem por The Devil em Sab Jul 24, 2010 7:01 pm

    RP TERMINADA
    (segundo a Nany kkkk)

    Conteúdo patrocinado

    Re: 15/03/2032 - Rua proximo Bar Café - Noite - RP Fechada

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Qui Set 20, 2018 5:11 pm